OK

NOTÍCIAS

27/06

INSALUBRIDADE – PROTEJA A SAÚDE DO SEU TRABALHADOR E REDUZA CUSTOS PARA A SUA EMPRESA

San-Medi-Insalubridade
A insalubridade é um adicional de remuneração ao salário do empregado, pago pelo empregador e que incide sobre o salário mínimo vigente na proporção de 10, 20 ou 40%, conforme o caso.

Criado em 1943 pela Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, foi regulamentado pela Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego que instituiu a Norma regulamentadora n. 15 (NR 15) e posteriormente recepcionado pela Constituição Federal em 1988.

Têm direito ao adicional de insalubridade os trabalhadores que, durante o exercício de suas atividades, ficam expostos a agentes nocivos à saúde acima dos limites de tolerância, seja pela natureza ou intensidade do agente, seja pelo tempo de exposição.

Assim, um trabalhador que fica exposto 8 horas da sua jornada de trabalho a elevados níveis de ruído (acima dos limites de tolerância previstos na lei) certamente terá direito ao adicional de insalubridade.

No entanto, a insalubridade pode ser eliminada ou neutralizada. A primeira e melhor opção sempre será a eliminação, pois conserva o ambiente de trabalho dentro dos limites de tolerância.

Alternativamente, neutraliza-se a insalubridade para que a intensidade do agente nocivo seja reduzida até os limites aceitos pela lei por meio de medidas administrativas ou pelo uso de Equipamentos de Proteção Individual – EPI’s.

Conforme disposto na NR 15, o exercício de trabalho em condições insalubres enseja a percepção dos adicionais citados no início, bem como configura infração punida com multa que pode variar de R$ 670,38 (seiscentos e setenta reais e trinta e oito centavos) até R$ 1751,50 (mil setecentos e cinquenta e um reais e cinquenta centavos).

Atualmente, a remuneração extra representada pelo adicional de insalubridade corresponde, ao mesmo tempo, um prejuízo ao trabalhador, que “vende” sua saúde, e um custo muitas vezes excessivo ao empresário que onera por demais sua folha de pagamento sem que haja razão para tal.

É neste cenário que a SanMedi cumpre um dos seus papéis mais importantes como assessoria em Saúde e Segurança no Trabalho.

A elaboração de um Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) consistente serve de base para o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO), para o Laudo Técnico das Condições Ambientais do Trabalho (LTCAT) e, se for o caso, para uma Análise de Insalubridade.

O atendimento personalizado aos clientes por meio de minuciosas visitas técnicas, bem como estudos rigorosos à legislação vigente, permite a confecção de documentos muito bem elaborados, garantindo o respaldo necessário e suficiente ao empresário.

Por fim, e não menos importante, vale lembrar que, ao se eliminar/neutralizar a insalubridade, não mais será necessário ao empregador contribuir com a alíquota de 6%, 9% ou 12% na folha de pagamento individual do trabalhador exposto a condições que ensejam a concessão de aposentadoria especial e, consequentemente, conforme o bom ou mau desempenho em segurança e saúde do trabalho, as alíquotas pagas sobre a folha de pagamento mensal (1%, 2% ou 3 %) poderão ser reduzidas pela metade (0,5%, 1% ou 1,5%, respectivamente) ou dobradas (2%, 4% ou 6%, respectivamente)!

Dar prioridade à prevenção, investindo na segurança e saúde do trabalhador pode representar também uma enorme economia para o empresário, diminuindo eventuais demandas trabalhistas e previdenciárias, preparando-o para o eSocial.

Eloísa Eberhardt
Advogada
Técnica de Segurança do Trabalho

Leia também

Governo anuncia novo eSocial simplificado para 2021
Governo anuncia novo eSocial simplificado para 2021
Grau de risco da empresa, você sabe o que é?
Grau de risco da empresa, você sabe o que é?
Designado da CIPA: O que você precisa saber?
Designado da CIPA: O que você precisa saber?

Solicite mais informações

LIGUE EM HORÁRIO COMERCIAL (11) 2942-0888

Postado Por

SanMedi

Deixe seu comentário